sábado, 18 de agosto de 2018

Moradores de Pacaraima expulsam imigrantes da Venezuela e destroem abrigos

 RORAIMA | 18/08/2018 | 18:00 | Por: Portal Flagrante


 Uma ação considerada violenta pelas autoridades do estado de Roraima, na fronteira do Brasil com a Venezuela, chamou a atenção do mundo na manhã deste sábado, dia 18. Imigrantes foram expulsos de abrigos no município de Pacaraima.
Os manifestantes, irritados com os venezuelanos que chegam a toda hora no estado brasileiro, atearam fogo e destruíram casas e pequenos abrigos na localidade.
Reforço policial foi enviado ao local para tentar conter a ira dos roraimenses e evitar uma tragédia maior. 
Coordenação Nacional da Associação Brasileira Rede Unida
Contra a Violência aos Imigrantes em Roraima, pele Melhoria dos Serviços Públicos Essenciais: Rede Unida propõe inspeção à situação dos direitos humanos.
Nos dias 9 e 10 de agosto de 2018, a Associação Brasileira Rede Unida promoveu o 1º. Encontro “Saúde do Imigrante: o cuidado sem fronteiras” em Boa Vista, Roraima, ocasião em que várias entidades do estado e de outros lugares do país vivenciaram o problema vivido no estado, em função do grande fluxo migratório proveniente da Venezuela.
A Rede Unida vem a público manifestar sua preocupação com atos de violência contra
venezuelanos refugiados na cidade de Pacaraima, Estado de Roraima, na manhã deste 18 de agosto de 2018. Na ocasião, foram incendiados pertences e barracas de migrantes acampados, detonados explosivos e, de acordo com relatos, disparados tiros, em uma ação intempestiva, hostil e desumana para expulsar famílias inteiras, incluindo crianças e pessoas em vulnerabilidade, de volta à Venezuela.
A crise humanitária vivida em todo estado de Roraima, decorrente de uma rede de serviços
públicos subfinanciada pelo governo federal e não apoiada nacionalmente na proporção demandada, uma vez que o fluxo de imigrantes provenientes da Venezuela é conhecido e envolve a disposição de relações de acolhimento e serviços de saúde, as ofertas de educação e ações de assistência social, programas e projetos, que atendam às necessidades urgentes dos imigrantes, programas e projetos de apoio às UniversidadesFederal e Estadual que ampliem a formação de profissionais, especialmente de saúde, uma vez que o impacto das migrações e as necessidades sociais em saúde são agudas e há necessidade de ampliar o acesso da população local às redes de saúde, educação e assistência social.
Na falta destes investimentos, o agravamento da situação leva estes episódios violentos,
exemplificados nesta ocasião, e que podem se repetir, com possibilidades de acontecer uma grande tragédia. Neste caso, a responsabilidade será do governo federal, que mesmo percebendo a situação dramática, não tem investido recursos e esforços suficientes para sua resolução.
Sugerimos que órgãos governamentais de Roraima, não governamentais, universidades e
comunidade se mobilizem, para evitar um agravamento da atual situação, e que cenas de violência como a vista hoje não se repitam. Busquem soluções para a questão, dentro dos marcos da solidariedade e generosidade das políticas sociais. O envolvimento de profissionais, de recém-formados e de estudantes da área da saúde, seja em programas de formação, de força-tarefa e de educação permanente pode representar iniciativas com sustentabilidade e repercussão, medidas em que o Brasil possui notórias alternativas multiprofissionais e interdisciplinares.
Considerando que a Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) “tem como
função principal promover a observância e a defesa dos direitos humanos nas Américas” e, em
conformidade com o artigo 106 da Carta da Organização dos Estados Americanos (OEA), tem
mandato para “realizar visitas in loco aos países para analisar em profundidade a situação geral e/ou para investigar uma situação particular”, a Rede Unida solicita que a CIDH envie observadores internacionais a Roraima, no sentido de verificar a suposta violação dos direitos humanos, e informar ao Conselho Permanente e à Assembleia da OEA para que tomem as medidas cabíveis de proteção aos vulnerados, e dê publicidade ao fato. Simultaneamente consideramos fundamental que a Procuradoria Geral da República se posicione sobre os episódios de violência relatados.
Enviaremos na próxima semana ofício subscrito pela Rede Unida e entidades que defendem
uma solução para a crise que se instalou no Estado de Roraima, à Comissão Interamericana de
Direitos Humanos da OEA, com esta solicitação.
Niterói-Boa Vista, 28 de agosto de 2018.
Coordenação Nacional da Associação Brasileira Rede Unida.
Núcleo da Rede Unida em Roraima.
 Do:Portal Flagrante

Anderson autoriza obras de terraplanagem em quatro bairros de Rio Preto


O prefeito Anderson Sousa conversa com técnicos durante assinatura da ordem de serviço - foto: Erlan Roberto
Redação
Escrito por Redação
As obras de terraplanagem dos bairros Canaã, Morada do Sol, Luciano Martins e Batistinha no município de Rio Preto da Eva, estão com sua ordem de serviço assinada pelo prefeito Anderson Souza desde esse dia (17), com início das obras de recuperação de ruas sendo cumprido dentro do cronograma obras traçado pela prefeitura.
Anderson disse que a recuperação de ruas e bairros, no município, seriam feitos através de recursos de emenda do deputado federal Átila Lins, mas os recursos não puderam entrar na conta da prefeitura. “As obras foram empenhadas no final do ano passado, mas o projeto não foi aprovado em tempo hábil, porque estamos em período eleitoral e a legislação proíbe a liberação desse tipo de recursos”, destacou o prefeito.
O prefeito de Rio Preto da Eva, Anderson Sousa faz vistoria nos bairros onde acontecerão as obras – foto: Erlan Roberto
Sem o dinheiro do governo federal, o prefeito Anderson Sousa teve que contratar empresa de terraplanagem com recursos próprios. Para isso, ele usou dinheiro da arrecadação do IPTU e outros impostos pagos pela população, para iniciar o trabalho de terraplanagem dos bairros até passar o período eleitoral, quando fará a licitação das obras de asfaltamento dos quatro bairros.

Do: Correio da Amazônia


Corpo de homem com 18 facadas é encontrado em terreno de empresa, na Zona Norte de Manaus


Funcionários andavam pelo local quando viram o corpo, na manhã de sábado (18). Vítima também tinha marcas de pauladas.

Por Patrick Marques, G1 AM
 
Corpo estava dentro de terreno de empresa de transporte coletivo, na Zona Norte de Manaus (Foto: Patrick Marques/G1 AM)Corpo estava dentro de terreno de empresa de transporte coletivo, na Zona Norte de Manaus (Foto: Patrick Marques/G1 AM)
Corpo estava dentro de terreno de empresa de transporte coletivo, na Zona Norte de Manaus (Foto: Patrick Marques/G1 AM)
O corpo de um homem não identificado foi encontrado em um terreno de uma empresa de transporte coletivo, na Avenida Camapuã, Zona Norte de Manaus. Funcionários andavam pelo local quando viram o corpo. Vítima estava com quase 20 golpes faca e com marcas de agressão. Não há informações sobre quem teria cometido o crime.
De acordo com a Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), o corpo foi encontrado por volta de 6h. Funcionários da empresa passaram pelo local e viram o homem.
“Segundo as informações que colhemos, o local é usado por pessoas para consumirem drogas, durante a noite. Alguma coisa deve ter acontecido e mataram ele, durante a madrugada”, disse o delegado Guilherme Antoniazzi, plantonista do 15º Distrito Integrado de Polícia (DIP).
Conforme a Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), o homem foi atingido com 18 facadas, no pescoço e tórax. Ele também tinha sinais de pauladas no peito e na nuca. O corpo foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML), e o caso deve ser investigado pela DEHS.

Número de mortos em desabamento de ponte em Gênova sobe para 42


Autoridades acreditam que não há mais desaparecidos; últimos corpos encontrados foram de um cidadão local e de um família.

Por Agencia EFE
 
O número de vítimas do desabamento da ponte Morandi em Gênova, na Itália, subiu para 42, depois que as equipes de bombeiros encontraram o corpo de um cidadão local. As autoridades acreditam que ele era o último desaparecido.
Durante a noite, também foi encontrado um veículo com outras três pessoas, um casal e a filha de 9 anos. Os corpos são da família Cecala, da qual não se tinha notícias desde terça-feira quando a ponte desabou.
Bombeiros e equipes de resgate trabalham um dia depois do colapso da ponte Morandi, em Gênova, na Itália   (Foto: Stefano Rellandini/ Reuters)Bombeiros e equipes de resgate trabalham um dia depois do colapso da ponte Morandi, em Gênova, na Itália   (Foto: Stefano Rellandini/ Reuters)
Bombeiros e equipes de resgate trabalham um dia depois do colapso da ponte Morandi, em Gênova, na Itália (Foto: Stefano Rellandini/ Reuters)
Embora ainda não exista a confirmação oficial por parte da Delegação de Governo de Gênova, os dados da Proteção Civil indicam que não há mais pessoas entre os escombros.
Enquanto isso, um alemão que tinha sido dado como desaparecido entrou em contato hoje com as autoridades italianas.
Hoje também foi realizado o funeral de Estado por todas as vítimas, oficiado pelo cardeal e arcebispo de Gênova, Ángelo Bagnasco, e com a presença do presidente da República, Sergio Mattarella, e do primeiro-ministro, Giuseppe Conte.
Familiares durante funeral de 19 vítimas da queda de ponte em Gênova (Foto: Massimo Pinca/Reuters)Familiares durante funeral de 19 vítimas da queda de ponte em Gênova (Foto: Massimo Pinca/Reuters)
Familiares durante funeral de 19 vítimas da queda de ponte em Gênova (Foto: Massimo Pinca/Reuters)
Apenas 19 famílias participaram do funeral, já que os parentes de outras vítimas optaram por cerimônias privadas

Satanistas instalam estátua de criatura com cabeça de bode em protesto por liberdade religiosa no Arkansas


Grupos de ateus e cristãos apoiaram manifestação, que pedia retirada de monumento aos Dez Mandamentos do Capitólio. Organizadores dizem que estado deve ceder espaço a outras religiões ou não ter homenagem a nenhuma.

Por Associated Press
 
Uma estátua de Baphomet, uma criatura alada com cabeça de bode, foi temporariamente instalada em frente ao Capitólio estadual de Arkansas na quinta-feira (16), durante uma manifestação que pedia a retirada de um monumento em homenagem aos Dez Mandamentos que existe naquele local.
O protesto foi organizado pelo Templo Satânico e reuniu cerca de 150 satanistas, ateus e cristãos, defensores da Primeira Emenda da Constituição dos EUA. O Templo Satânico diz que o monumento aos Dez Mandamentos viola a liberdade constitucional à liberdade de direitos religiosos e que a instalação de sua estátua de 2,3 metros do ídolo do século 14, sentado e acompanhado por duas crianças sorridentes, demonstraria tolerância religiosa.
“Se você vai erguer um monumento religioso, então deve estar aberto a outros, e se você não concorda com isso, então não tenhamos nenhum”, disse a cofundadora do Templo Satânico em Arkansas, Ivy Forrester, uma das organizadoras da manifestação.
A estátua de Baphomet não pode ser instalada por causa de uma lei de 2017 que exige patrocínio legislativo para consideração de qualquer monumento. O grupo satanista a retirou do local no final do dia.
O monumento aos Dez Mandamentos no Capitólio do Arkansas foi patrocinado pelo senador republicano Jason Rapert e instalado discretamente em 2017. Menos de 24 horas depois, um homem jogou seu carro contra ele e o destruiu. O mesmo homem destruiu um monumento aos Dez Mandamentos do lado de fora do Capitólio estadual de Oklahoma.
O Templo Satânico encerrou sua campanha para instalar uma estátua de Baphomet naquele estado depois que a Suprema Corte de Oklahoma determinou que o monumento aos Dez Mandamentos era inconstitucional e determinou que ele fosse retirado.
Rapert disse em um comunicado na internet que ele respeita os direitos dos manifestantes garantidos na Primeira Emenda, mas também os chamou de “extremistas” e disse que “será um diz muito frio no inferno antes que uma estátua ofensiva nos seja imposta de forma permanente no terreno do Capitólio Estadual do Arkansas”.
Havia uma significativa presença policial na manifestação, que foi pacífica. Um pequeno grupo de contramanifestantes, exibindo cartazes com versículos da Bíblia, circulou tranquilamente pelas proximidades, em alguns momentos entoando cânticos religiosos.
Um orador – um ministro cristão – foi interrompido por um contra-manifestante que gritava, mas a polícia escoltou o homem, que carregava uma grande estaca de madeira, para longe do palco.
O Templo Satânico quer se unir a um processo de discriminação religiosa contra o estado do Arkansas, movido pela União de Liberdades Civis Americana. Um juiz ainda irá decidir se os satanistas podem se unir ao caso.

Moradores de Pacaraima expulsam imigrantes da Venezuela e destroem abrigos

  RORAIMA  | 18/08/2018 | 18:00 |  Por: Portal Flagrante  Uma ação considerada violenta pelas autoridades do estado de Roraim...